NOVIDADES

CAMPO NOVO DO PARECIS 24/08/2017 18:08

Conexão AgriHub reúne novidades tecnológicas para o campo

O Sistema Famato teve a ideia de criar uma rede de inovação chamada AgriHub com o objetivo de conectar produtores rurais às tecnologias desenvolvidas para o agronegócio. Um dos diferenciais do AgriHub é a iniciativa de conectar produtores rurais, startups, empresas, pesquisadores e investidores que estejam em busca de possíveis soluções tecnológicas às necessidades específicas do meio rural mato-grossense. Com a proposta de ajudar o produtor rural de Campo Novo do Parecis a encontrar soluções criativas para problemas simples do cotidiano dentro das propriedades rurais, o Sistema Famato realizou quarta-feira (23) mais uma etapa do Conexão AgriHub. O evento, que faz parte do projeto, aconteceu no pavilhão de eventos do Parque de Exposições Odenir Ortolan em Campo Novo do Parecis.
O projeto é uma iniciativa da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). “A ideia do Conexão AgriHub é justamente ajudar o homem do campo a detectar os problemas da porteira para dentro da fazenda e auxiliá-los na escolha de uma empresa ou startup que apresente a melhor solução para sua necessidade. As startups que foram selecionadas para estarem aqui se basearam em problemas específicos do agronegócio, levantados por produtores”, explicou o superintendente do Imea Daniel Latorraca.
Além dos produtores rurais, participaram do Conexão uma turma de estudantes do 2º ano do curso técnico de Informática do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) de Campo Novo. Na oportunidade, eles assistiram uma palestra com o superintendente do Imea sobre “Inovação na Agricultura: A nova era digital”.
Os alunos ainda tiveram um momento de bate-papo com Latorraca sobre o projeto de inovação do AgriHub e os avanços tecnológicos para o campo.
As quatro startups presentes Farmbox, Kpi Farm, Farmtec e Connectere tiveram três minutos para o pitch, momento em que eles apresentaram suas soluções tecnológicas de acordo com as necessidades e sugestões dos grupos de produtores da região.
Com uma programação diversificada ainda teve o momento de interação, onde tiveram a chance de conhecer com mais detalhes as tecnologias lançadas por cada uma das quatro startups. “Esse momento de network que chamamos de interação, criado especialmente para que os produtores possam tirar suas dúvidas sobre as tecnologias apresentadas rapidamente durante o pitch e ainda sugerir adaptações e ideias, fazer parcerias para testes e trocar contatos”, contou o consultor do AgriHub Fábio Silva.
Dos problemas levantados pelos produtores rurais do município estavam a falta de mão de obra qualificada, falta de eficácia no monitoramento do tempo, falta de critérios na classificação de grãos e a falta de precisão no levantamento de pragas e doenças. 
O agricultor Antenor Utida disse que na sua fazenda o principal problema está na falta de mão de obra especializada para aplicação da tecnologia de aplicação e monitoramento de pragas e doenças. “A falta de mão de obra e a rotatividade de profissionais prejudica a aplicação de tecnologias e monitoramento de pragas. A falta de braço também dificulta a organização da fazenda como, por exemplo, na gestão administrativa, como anotações e acompanhamento e visitas técnicas nos talhões para direcionar a aplicação de produtos agroquímicos”, apontou Utida.
De acordo com o produtor rural e ex-presidente do Sistema Famato Rui Prado, na agricultura moderna e competitiva, os agricultores devem fazer a sua parte e estar cada vez mais atentos às inovações para evitar custos maiores, perdas de produtividades e buscar rentabilidade.
Sobre tecnologia de aplicação levantada pelos agricultores, Prado disse que mesmo com o avanço da tecnologia, aliada ao uso de produtos agroquímicos de grande eficiência e os maquinários de última geração, os produtores devem ficar atentos às soluções simples e de baixo custo que podem ser apresentadas por startups e empresas especializadas em resolver problemas do agronegócio. “A proposta do AgriHub é oferecer soluções com menor custo para os produtores rurais”, acrescentou Prado.
Para o professor do IFMT Thiago Luiz Freitas, a tecnologia está cada vez mais presente na vida das pessoas, facilitando diversas atividades. E a oportunidade de participar de um evento de inovação e tecnologia voltada para o agronegócio é um diferencial no processo educacional dos alunos do IFMT. 
“Mesmo o evento sendo especificamente para o segmento agropecuário, nos proporcionou contato com outra área de conhecimento. E o legal foi identificar que a informática está presente no agronegócio de diversas maneiras. Sendo assim, entendo que o agro é mais uma oportunidade de trabalho para nós”, disse a aluna Ana Barbara Damasceno.
 


Fonte: Ascom Famato


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo