NOVIDADES

16/08/2019 15:25

Bom Dia Senar-MT: saiba como sair na frente na era da agricultura digital

Na era da “agrointeligência” a produção de alimentos se torna cada vez mais tecnológica e exige que o conhecimento seja constantemente renovado

Internet das coisas… inteligência artificial… big data… startup. Palavras e conceitos que invadiram o campo e certamente não o abandonarão. Na chamada “era da agrointeligência”, a produção de alimentos se torna cada vez mais tecnológica, exigindo que o conhecimento de todos os envolvidos na atividade seja constantemente renovado. Afinal, de que adianta investir em maquinários modernos se não houver na fazenda alguém capaz de extrair deste equipamento tudo o que pode oferecer?

Vivemos um momento de revolução tecnológica e é preciso estar preparado para saber como encarar as novidades que a todo instante são desenvolvidas. Aliás, a adoção dessas inovações será fundamental para garantir que não falte comida no mundo nas próximas décadas. As projeções da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), por exemplo, apontam que o aumento esperado na oferta de alimentos virá muito mais do avanço da produtividade do que da expansão das áreas agricultáveis. Ou seja, as apostas estão centradas principalmente no ganho de eficiência no campo… e este dependerá – e muito – da tecnologia.

O assunto foi tema do bate-papo com Otávio Celidonio (superintendente do Senar-MT), durante o Bom Dia Senar-MT desta quarta-feira, 14. Além de explicar alguns conceitos já comuns no ambiente da “agricultura 4.0”, Celidonio destacou o avanço do investimento em startups ligadas ao agro em todo o mundo. O salto foi de US$ 3 bilhões em 2012, para US$ 10,1 bilhões há dois anos. Apesar deste crescimento, no Brasil o olhar para as “startups agro” ainda é algo relativamente novo. Das mais de 11 mil startups existentes no país, apenas 3% são relacionadas ao campo.

O superintendente do Senar-MT também destacou o papel desempenhado AgriHub, uma rede de inovação em agricultura e pecuária que identifica os problemas dos produtores rurais e os conectam a startups, mentores, empresas de tecnologia, pesquisadores e investidores para desenvolver soluções e promover o melhor ajuste de tecnologias ao campo.

Celidonio apontou ainda alguns pilares que devem ser levados em conta por aqueles que pretendem “sair na frente” nesta nova era, seja produtor ou fornecedor de serviços. Segundo ele agricultura digital deve criar demanda para produtos e serviços personalizados, seguindo os requisitos estabelecidos por cada fazenda. Além disso, deverá reduzir o uso de insumos, bem como os desperdícios e perdas dos mesmos. É preciso, então, pensar em uma gestão contínua de processos que culmine na melhor adequação de oferta e demanda. Por fim, é preciso entender que a agricultura digital valoriza um ecossistema colaborativo, que permita melhor colaboração ao longo da cadeia, criando oportunidades para provedores de soluções digitais.

Para saber mais sobre o assunto, clique no link do vídeo e confira na íntegra o Bom Dia Senar-MT: https://www.youtube.com/watch?v=7_0TxGHIb_U&t=175s

Fonte: https://blogs.canalrural.uol.com.br/canalruralmatogrosso/2019/08/14/bom-dia-senar-mt-saiba-como-sair-na-frente-na-era-da-agricultura-digital/


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo